Mercado formal de bijuterias já movimenta cerca de R$ 115 milhões


As bijuterias conquistaram status de acessórios de moda e passaram a ser utilizados também por pessoas chiques e de boa renda

Salvador - Apostando num mercado que cresce a cada ano, a loja Divina Vaidade, especializada em bijuterias e acessórios, está inaugurando a sua unidade no Shopping Iguatemi, em Salvador. O mercado formal brasileiro de bijuterias movimenta, atualmente, cerca de R$ 115 milhões por ano e a explicação para este crescimento, que também se reflete no mercado baiano, pode estar no novo posicionamento que os acessórios e bijuterias ganharam nos últimos três anos, quando passaram a ser apresentadas como um complemento tão importante quanto a roupa ou o calçado.

“Assim como a moda se transforma a cada estação, o acessório e a bijuteria são peças do vestuário que podem acompanhar esta dinâmica por ter um preço mais acessível. É mais fácil comprar novos echarpes e colares, do que uma roupa nova”, explica Graça Valadares, empresária da Divina Vaidade.

Outro fator que também conta muito, segundo a empresária, está relacionada com a segurança. “Muitas pessoas já preferem substituir o uso de uma jóia por bijuteria. Esta medida faz com que a mulher continue bem vestida e sofisticada, sem, no entanto, ser alvo de um assaltante, já que está portando um material mais barato e que não tem valor de revenda”, complementa.

As bijuterias já foram sinônimo de enfeites alternativos usados pelos amantes do estilo hippie e até antônimo de elegância por serem feitas de materiais pouco nobres, como latão, plástico, resina e madeira. Mas, nos últimos anos, colares, pulseiras, brincos e anéis, entre outros adereços, ganharam design moderno, pedras raras, desenhos e bordados exclusivos e por isso, conquistaram status de acessórios de moda e passaram a ser utilizados também por pessoas chiques e de boa renda.

Sempre em alta, em qualquer estação, as bijuterias e acessórios hoje são assinados por grandes nomes. “Estamos trazendo para o mercado baiano peças trabalhadas por designes de renome nacional como as paulistas Camila Klahim, que produz peças em cristais e pedras brasileiras de cor, e a grife Cissa & Renata, que expõem suas coleções na loja Daslu. De Minas Gerais vem a criatividade de Cláudia Parise, que faz um trabalho manual com pedras que parece até uma obra de arte”, revela Graça.

Em um mercado altamente competitivo e disputado pelo comércio informal, praticado geralmente por donas-de-casa que vendem artigos para complementar renda, segundo o Sindicom - SP, o atendimento e o mix de produtos são grandes diferencias nas lojas especializadas.

“Estamos treinando os colaboradores para que eles atuem como consultores também, dando um suporte ao cliente, tirando suas dúvidas e ajudando a escolher a peça adequada a cada ocasião”, conta. Para agradar o público adulto, alvo da Divina Vaidade, a loja está apostando num mix completo. “Este mercado exige grande atualização. Precisamos acompanhar a dinâmica do mundo da moda, suas cores e tendências, e ainda se antecipar às necessidades do cliente, buscando as peças certas para cada ocasião e gosto”, conclui Graça Valadares.